Apaixonei-me por ti, outra vez

428
Fotografia @ Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Neste último outono, decidimos visitar a capital. Sim, Lisboa. A Lisboa dos amantes. A Lisboa que tantas vezes nos acolhe quando queremos fugir do nosso rochedo. A Lisboa que nos recebe de braços abertos quando precisamos de nos sentir menos ilhéus.

Na “nossa” Lisboa, levaste-me a dançar como se fosse a primeira vez. Decidimos ir à Pensão dos Amantes. E, de repente, convidaste-me a dançar. E foi a loucura. Estávamos rodeados de amantes ardentes à procura de um sorriso, de uma carícia, de algum conforto que tornasse essa noite fria numa noite mais quente.

E foi assim que me apaixonei por ti, outra vez. A tua dança inebriante levou-me a redescobrir o outro lado da noite e fez com que me sentisse uma verdadeira amante na noite de Lisboa.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anterior«Amo-te»
Próximo artigoHoje, vi a saudade na estrada
LAURA MONTEIRO, a dançarina
Gosta da vida. Ama a pureza da neve. Prefere viver escondida das pessoas para não sofrer desilusões. É coleccionadora de corações. E, por falar em corações, às vezes sente que de tanto bater o seu coração vai parar de repente. É hipersensível e lamechas. Adora dançar. Vive numa ilha. Sente que, às vezes, é difícil viver rodeada de mar e, por isso, tem saudades de viver rodeada de terra firme, montanhas ou betão. O seu apelido é Montero (e não Monteiro) porque tem raízes sul-americanas. Gosta de viver, simplesmente. Às vezes, a vida surpreende-a com alguns acasos e algumas loucuras.