Qual é a tua verdade?

820
Fotografia @ Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Recordo-me do dia em que me perguntaram:

«Precisas de descobrir qual é a tua verdade?»

Estava longe de sentir e de imaginar o que a pessoa queria dizer. Para mim, a palavra verdade tinha um significado completamente diferente daquele que tem hoje. Neste momento, verdade significa ser autêntica com aquilo que sinto e com as pessoas que estão à minha volta. Expandir o meu potencial, a minha essência. E aqui começa o desafio. 😊

Sermos verdadeiros connosco próprios é uma das coisas mais desafiantes, porque implica estarmos a lidar com aquilo que sentimos; implica não seguirmos, por vezes, aquilo que é mais importante para a nossa família, ou o nosso grupo de amigos. Seguirmos a nossa verdade, por vezes, implica não nos revermos nas conversas, sentirmos que não nos adaptamos ao ambiente em que estamos, sentirmos que estamos desenquadrados do ambiente que antes até era normal. Expandir o nosso potencial significa questionar as ideias pequenas que temos sobre nós próprios, e implica libertar o nosso coração da mágoa, da dor e da culpa.

Seguir a nossa verdade, por vezes, é questionar muito não os outros, mas a nós próprios. Questionar o que pretendo e o que faz sentido para mim. Seguir a minha verdade implica, em primeiro lugar, colocar-me como responsável pela interpretação daquilo que vejo, se escolho ver o mundo pelos olhos do ego ou pelos olhos da alma. Mas, acima de tudo, esta verdade necessita de espaço e de validação para que se possa manifestar. Esta verdade é o nosso potencial, que, durante anos, foi treinado para ser menos, para sentir menos, para esperar menos. Dar espaço para que ela brilhe, para que ela expanda, é a maior prova de fé que podemos ter e isso significa:

  • Não pedir desculpa por aquilo em que escolho acreditar;
  • Não pedir desculpa por continuar a escolher ver amor no outro e em mim;
  • Não pedir desculpa por acreditar que existe algo mais profundo e mais forte que nos une a todos;
  • Não pedir desculpa por não encaixar;
  • Não pedir desculpa por não ter seguido o caminho esperado;
  • Não pedir desculpa por não conseguir disfarçar.

Para expandires a tua verdade e para a seguires, necessitas de pequenos saltos de fé diários, em que a única rede que tens é a crença de que a vida está do teu lado, de que a vida te protege.

Confia em ti. Confia no que sentes. Confia na tua verdade. Dá uma oportunidade a esse sentir.

Um beijo enorme e até já!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorInquietude
Próximo artigo«Amo-te»
LÍGIA SILVA, a coach
Ela é autêntica, mulher e, acima de tudo, humana. Adora falar e escrever de coração para coração. Tem como principal paixão a descoberta da mente humana e adora que esta viagem seja feita com sentido de humor e com uma boa gargalhada. Acredita na simplicidade da vida e na possibilidade de cada um de nós fazermos aquilo que mais nos preenche.