Gostava de voltar a ter à mesa da noite de Natal todos os familiares que já partiram

1356
Fotografia @ Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Querido Pai Natal:

Gostava que neste Natal já não existisse guerra no mundo.

Gostava que todas as pessoas tivessem comida, casa e uma família.

Gostava que as pessoas fossem mais verdadeiras, humildes e sinceras. De sorrisos verdadeiros. Aliás, gostava que todas as pessoas pudessem ter motivos para sorrir. Que tivessem, pelo menos, neste Natal, a possibilidade de concretizar um sonho.

Gostava…

O que eu gostava mesmo, querido Pai Natal, era voltar a ter à mesa da noite de Natal todos os familiares que já partiram.

Pelo menos, esta noite.

Estava bem longe nos meus pensamentos… Volto à realidade e penso que, se o Pai Natal realmente existisse, será que ele poderia concretizar também os pedidos dos adultos? Teria a capacidade de fazer milagres? Era este o milagre que eu queria: poder ter a oportunidade de passar mais um Natal com os familiares que já partiram.

Este ano é o primeiro em que o meu avô está ausente. Ele fazia anos no dia de Natal. Já não se vai cantar os parabéns no dia de Natal ao meu avô. Mais um momento que se perdeu. Todos os anos se perdem momentos.

Abro a janela para entrar este sol de inverno e sinto o cheiro a lareiras. O meu pensamento viaja até casa… Este cheiro repleto de memórias. A lareira, a ceia de Natal, aquele bacalhau com couves que sabe melhor que o ano inteiro, os sorrisos, a família novamente reunida, os mesmos filmes de sempre, as sessões fotográficas com gorros de pai Natal e corninhos de rena, os jogos das cartas, as canções de Natal e todos os momentos únicos que só a minha família me pode dar…

Fecho a janela e vou fazer a mala para apanhar o avião até casa. Posso passar meses distante da minha família, mas no Natal regresso sempre.

Afinal, é lá que tenho que estar. Porque, apesar dos que vão partindo, o Natal só continua a fazer sentido em família. E há que desfrutar de cada momento com cada um deles. Pois no próximo ano… No próximo ano, sabe-se lá se estaremos todos juntos novamente.

Por isso, espero que desfrutem da companhia de cada uma das vossas pessoas. Aproveitem esta época para apagar o distanciamento e as discórdias do ano inteiro.

Um feliz Natal!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorUm ajudante inesperado
Próximo artigoJá estava cansada do «era uma vez…»
CARINA MAURÍCIO, a fotógrafa
É budista e conservadora-restauradora. É de riso e choro fáceis. Tem tanto de sensível, quanto de corajosa e lutadora. Adora fotografar, jogar ténis e viajar. Viciada em comida, é fã de comida italiana. Gosta de dormir, de café, de chocolate. Dançar? Pode ser a noite toda. Mas também gosta de ficar na ronha, em casa, entre filmes e pipocas. Adora o som da chuva a cair no inverno e o som do mar em dias de verão. Campos floridos enchem-lhe o olhar, assim como as cores das folhas do outono. Apaixona-se facilmente e é uma apaixonada pela vida. Uma geminiana pura.