Tu és tu!

647
Fotografia @ Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Confia na voz mais quente, no olhar mais profundo, no sorriso mais ingénuo.

Não percas tempo com aqueles que só te querem ver afundar na tristeza mais triste e nos caminhos mais perigosos. Não percas tempo com rostos cansados de tanta falsidade e que, mal te viram costas, troçam de ti e da tua forma de ser.

Tu és tu. Com os teus defeitos, com as tuas virtudes. Os outros, se quiserem aceitar os teus traços psicológicos, terão sempre uma palavra ou gesto de amizade, nos bons e maus momentos. Quanto aos que nem nos bons momentos te dizem «vai! Fico feliz por ti! Um dia, ainda nos encontraremos nas calhas da vida!», mas antes te dizem «Ah!? A sério? Tiveste muita sorte!», ignora-os e pensa: «Meus caros, a sorte é trabalhada todos os dias, caso não saibam!»

Ama descontroladamente. Abraça, logo pela manhã, quem te apetecer. Beija fortemente quem te faz sentir a pessoa mais feliz do mundo. Sorri a todos, mesmo àqueles que não merecem. Verás que o universo te retribuirá, mais tarde ou mais cedo, com bons pensamentos e paz de espírito para contigo e para com a humanidade.

Procura um lugar no coração para aqueles que, de repente, desaparecem da tua vida, devido à ceifa. Descobre outro lugar (no mesmo coração) para os que sempre estiveram e vão estar contigo até ao fim ou reinício. Abre a veia aorta para o sangue dos que amas circular por todo o teu corpo.

Nunca discrimines as pessoas que são diferentes de ti. Cada um tem aquilo que Deus quis. E, como Deus é infinito, não ponhas em causa essas gentes. E nunca te ponhas em causa. Porque és eternamente bom.

Sonha desmedidamente, sem limites, sem barreiras e faz com que estas quimeras se realizem na realidade. Terás que fazer as malas e pôr os pés a caminho. Se te deres mal, arruma os trapos e volta. Quem te ama receber-te-á de braços abertos. Basta-lhes agradeceres quando chegares.

E, quando estiveres no limite do teu corpo, sentir-te-ás pronto para partir.

Porque não deixaste nada por fazer nem dizer.


PUB


Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorQuem ama nunca esquecerá
Próximo artigoGosto de mim… (até 20 de outubro)
JOANA SH PEREIRA, a Purple Soul
Ela conquista as pessoas pelo seu sorriso e não pela arrogância. Desde pequena que a mãe lhe chama «maluca», pois encara a vida como sendo uma aventura numa roda gigante. Não desiste dos sonhos. Não desiste de ser feliz. E, para «Purple Soul», a alma é o fundamento da felicidade, misturada com pintas de cor púrpura, como num vestido ao estilo Vintage!