Não sonhes. Vive!

1651
Fotografia @ Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Não sonhes!

Não sonhes porque morres um pouco de cada vez que sonhas. Perdes tempo a sonhar com a vida que está a acontecer e que tu deixas de viver enquanto estás a sonhar. Sem dares por isso, queimas minutos desenhando o rosto de um amor que já encontraste. Não continues a imaginá-lo só através dos sonhos. Morres um pouco a cada noite em que adormeces e procuras nos sonhos por quem já está ao teu lado, sem que tu tenhas reparado.

Não sonhes mais!

Continua a viver. Deixa a tua vida acontecer. A vida é toda essa magia que acontece enquanto te embrulhas nos sonhos, sem valorizar tudo o que já conquistaste. Não te esqueças de viver. Não te esqueças de abraçar o amor. Tudo isso é mais valioso do que os sonhos.

Alimenta-te de (re)começos. A vida vai-te desenhando no caminho todas as portas e janelas de que precisas para veres o horizonte, que está mais além, para lá da linha que os teus olhos conseguem ver. No lugar onde o rosto da tua paixão terá um nome. A vida já escolheu todos os momentos que tu irás viver. Deixa, por isso, de os procurar nos teus sonhos. Não te prendas nessas ilusões e embrulha-te nas emoções que tens ao alcance das tuas mãos.

Deixa de viver com esse nó na garganta. Só porque vês os dias a passarem e os teus sonhos não se realizam ao ritmo do que tu queres. Vês! Estás a matar-te com as tuas próprias mãos. Está a alimentar-te de expectativas que vais desenhando para um futuro que ainda não te pertence. Depois morres um pouco a cada novo sonho que teimas em sonhar.

Deita fora esse passado de que foges. Vomita esse sofrimento que te grita aos ouvidos e te obriga a sonhar. Saí daí, abre a porta do presente e vive. Há um mundo à tua espera. Existem horas que pedem para ser vividas. Saí de dentro de ti. Mostra-te ao destino. Abre essa porta que a vida já te desenhou. Não tenhas medo. A vida não te morde. A vida não te vai deixar sozinha. Ela traz-te e leva as pessoas certas. As pessoas de que precisas na tua vida para que ela faça sentido. A vida é esse vento que sentes no rosto, que te leva as recordações e te traz novas emoções.

Não sonhes, porque lá não vais encontrar ninguém. Quem te pertence está na tua vida e não nos teus sonhos. Prova o sabor da aventura e vive a loucura do amor. Não substituas essa magia pelos sonhos. A vida não é um deserto, é um jardim feito de flores que não colhes, mas que alegram os teus dias com a sua presença. A vida pede-te apenas para viveres e não te perderes pelos caminhos dos sonhos que são feitos de curvas apertas, que podem não te deixar alcançar o futuro. Os sonhos são labirintos que sem sempre tu consegues contornar, para que possas encontrar a sua saída.

Não sonhes! Os sonhos comandam a vida, mas não és tu que comandas a vida. É ela que escolhe o que vais viver. Por isso, agarra todos os momentos que a vida te oferece. Não te atrases, nem te adiantes, porque tudo tem um tempo certo e, se não o agarrares, ele passa-te ao lado e tu não vais poder lá voltar.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA primavera da minha vida
Próximo artigoNão é um adeus. É um até já!
ANGELA CABOZ, a miúda gira
Nasceu em Tavira há 49 anos. Desde a adolescência que é uma apaixonada pela leitura, pela escrita, pelo cinema e pela música. Escreve sobre sentimentos e, nas palavras, reflete a maneira de ver e de sentir o mundo. Em 2014, realizou um sonho: a publicação do seu livro «À procura de um sonho». Desde então, tem participado em várias obras coletivas.