Obrigada!

1626
Fotografia © Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Obrigada! Tantas vezes nos esquecemos de pronunciar esta simples palavra, e principalmente de a sentir em toda a sua dimensão. E como ela é avassaladora! Então, hoje, eu agradeço!

Obrigada ao tempo que tudo nos dá — os amores, as amizades, os momentos, as partilhas, as desilusões, as lições. Obrigada pela esperança, pela saudade, pela capacidade de sonhar, pela tristeza e pela angústia.

Obrigada ao sol que todos os dias nasce e nos conforta com o seu calor. Obrigada à lua que todas as noites vem dar um pouco de luz à escuridão que se impõe. Obrigada às estrelas que nos fazem sonhar e acreditar que coisas boas virão. Obrigada à chuva que cai e dá de beber à terra e tudo limpa, levando o que tem que ir. Obrigada ao rio que corre, às montanhas que se formam, às árvores que crescem e ao mar que vai além do horizonte.

Obrigada ao universo por todos as quedas dadas e os ensinamentos que daí vieram. Porque sem conhecer o lado amargo da vida eu nunca poderia saber reconhecer a felicidade. Obrigada por aqueles momentos que, de tão simples que são, se tornam mágicos. Obrigada ao medo que me faz ter cautela, mas ao mesmo tempo me torna mais alerta. Obrigada pela coragem de todos os dias lutar contra ele e algumas vezes sair vitoriosa.

Obrigada a todas as pessoas que cruzaram o meu caminho. Às que fazem agora parte do meu presente, e às que ainda estão por vir. Às que permanecem de forma incondicional, às que estão apenas de passagem e às que vieram para ficar. Cada uma dessas pessoas deixa um pouco de si e leva um pouco de mim.

Obrigada pelos beijos e abraços dados. Pelas conversas que se prolongam horas sem fim, e pelas que se trocam apenas com um olhar. Obrigada pelos livros que nos fazem viajar através das suas histórias e pelas músicas que nos embalam a alma. Obrigada pelas viagens que nos permitem conhecer horizontes longínquos.

Simplesmente, obrigada!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorOs meus olhos
Próximo artigoO dente de leão
DIANA ROSA, a viajante
Tem 34 anos. Trabalha na área financeira, mas não é isso que a move. A grande paixão — aquilo que a faz vibrar — são as viagens: pelo mundo e pela vida, descobrindo novos lugares, experiências e emoções. Gosta da natureza, de ler, de praticar yoga e de pessoas. Busca ser feliz e realizar sonhos. E este desafio é um passo, inesperado, dado nesse sentido.