Carta à minha alma gémea

3500
Fotografia © Pixabay | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Meu amor:

Tenho esperado todos os dias por ti, mas as coordenadas do teu coração ainda não te colocaram na direção certa. Tenho para mim que talvez andes distraído, ou mesmo perdido.

Sabes, pensei algumas vezes que te tinha encontrado. Aquelas borboletas que esvoaçavam no meu estômago, o meu coração que palpitava e o brilho que os outros diziam ver nos meus olhos, levavam-me a acreditar que eras tu. Mas algum tempo depois percebia que, afinal, tudo não tinha passado de uma ilusão.

Ansiei muito pela tua chegada. Queria ter-te para mim o mais depressa possível. Mas parecia que, quanto mais o desejava, mais te sentia a fugir de mim, como quando sentimos a areia a escorregar-nos por entre os dedos e queremos agarrá-la com todas as nossas forças.

Sonhei contigo muitas noites. Outras tantas não conseguia adormecer a imaginar como seria ter-te ali ao meu lado. Sorri vezes sem conta, quando quase conseguia sentir o sabor do teu beijo. Chorei muitas mais quando desesperava com a tua ausência.

Contei-te muitas vezes, em pensamento, como tinha sido o meu dia, quais tinham sido as minhas conquistas e quais as angústias que me corroíam a alma, na esperança de que, onde estivesses, me conseguisses ouvir. Senti-me sozinha e defraudada com a tua ausência e senti-me confortada com a esperança de que estás algures à minha espera.

Hoje, eu sei que tens o teu caminho a percorrer, tens as tuas experiências a viver, tens os teus sonhos a perseguir. E vais ter que viver tudo isso antes de eu existir na tua vida. Mas também sei que, quando o dia certo chegar, o caminho até mim vai-se revelar à tua frente tão naturalmente como o desabrochar de uma flor. Até lá, esperarei pacientemente, com a certeza de que tudo aconteceu da forma como tinha que acontecer.

Até breve!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorO abismo
Próximo artigoA soma dos anos
DIANA ROSA, a viajante
Tem 34 anos. Trabalha na área financeira, mas não é isso que a move. A grande paixão — aquilo que a faz vibrar — são as viagens: pelo mundo e pela vida, descobrindo novos lugares, experiências e emoções. Gosta da natureza, de ler, de praticar yoga e de pessoas. Busca ser feliz e realizar sonhos. E este desafio é um passo, inesperado, dado nesse sentido.