Valoriza cada momento (o tempo não volta atrás)

5331
Fotografia © Jeremy Bishop | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Jeremy Bishop | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Felicidade… O que significa ser feliz?

Estamos sempre em busca da felicidade com esperança de que, um dia, a conseguimos alcançar e lá permanecer. Mas para mim a felicidade não é um destino, mas sim a própria viagem que fazemos nas nossas vidas.

A verdadeira felicidade – a absoluta – está no nosso coração. Está na forma como encaramos o dia a dia, com alegria. Na vitória que sentimos no coração a cada luta, a cada conquista, a cada aprendizagem.

Este tipo de felicidade, para mim a mais importante, reside no íntimo do nosso ser e manifesta-se na nossa forma de estar e ver a vida.

Hoje, dizia-me um professor: «Busca, dentro de ti, toda essa imensa força que aí tens e passa por cima ou ao lado.» Então, acredito que esta força, esta capacidade, que todos nós possuímos para ultrapassar qualquer adversidade – e disso retirar sempre algo de positivo – é a verdadeira felicidade. A verdadeira e a mais difícil de alcançar.

Mas acredito que, quando uma pessoa entende, sente e vive esta forma de felicidade, não importa o que a vida lhe dá, porque será sempre vitoriosa. Vitoriosa no coração.

E, depois, há outro tipo de felicidade, a relativa, que advém de fatores exteriores a nós, pessoas, coisas ou situações.

E aqui há tantas, mas tantas coisas que são felizes. Que me fazem feliz e que acredito que também faça vocês.

Porque a felicidade é estar com a família e amigos. Seja a jogar às cartas com a minha avó, a jantar com a minha mãe e irmãs, numa esplanada a beber cerveja ou numa pista de dança com os amigos.

A felicidade também é dedicarmo-nos a um trabalho que nos apaixona. Sentir que fazemos algo de útil pelo mundo, pela vida, pelas pessoas, pela história.

A felicidade é ouvir uma música que nos faz dançar, ler um livro que nos prende a cada frase, ver um filme que nos envolve na história, degustar a nossa comida preferida, fazer o desporto que adoramos. E chorar por cada emoção que sentimos, despoletada por cada um destes estímulos que recebemos. E, ainda assim, sermos felizes. Porque sentimos, porque nos toca o coração, porque nos emociona, porque nos diz tanto…

A felicidade é fazer o dia de alguém feliz, seja com uma mensagem, um sorriso, um elogio, um gesto. E é igualmente receber uma mensagem, um sorriso, um elogio, um gesto, inesperadamente, de alguém.

A felicidade é apanhar banhos de sol na praia, fazer uma caminhada num campo florido de primavera, pisar as folhas secas do outono e brincar com a neve. Porque é possível apreciar os milagres da natureza a cada estação e, com isso, ser feliz.

Para mim, a felicidade também é comer chocolate, beber café, sentir a areia da praia nos pés, ouvir as ondas do mar, planear uma viagem, ir de férias, fazer um bolo, partilhar um jantar e um bom vinho com alguém, dormir muito, fotografar, conhecer um novo sítio e, de vez em quando, não fazer nada.

Aproveita tudo o que a vida te dá. Sorri quando tens de sorrir. Chora quando tens de chorar. Mas, acima de tudo, sente alegria no coração. Não queiras chegar ao final da tua vida arrependido, porque passaste os dias a recordar o passado, ansioso pelo futuro, e nem deste conta do(s) presente(s) da vida.

Por isso, valoriza cada momento, porque o tempo… O tempo não volta atrás!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorSou de todas as cores
Próximo artigoO que te faz, realmente, feliz?
CARINA MAURÍCIO, a fotógrafa
É budista e conservadora-restauradora. É de riso e choro fáceis. Tem tanto de sensível, quanto de corajosa e lutadora. Adora fotografar, jogar ténis e viajar. Viciada em comida, é fã de comida italiana. Gosta de dormir, de café, de chocolate. Dançar? Pode ser a noite toda. Mas também gosta de ficar na ronha, em casa, entre filmes e pipocas. Adora o som da chuva a cair no inverno e o som do mar em dias de verão. Campos floridos enchem-lhe o olhar, assim como as cores das folhas do outono. Apaixona-se facilmente e é uma apaixonada pela vida. Uma geminiana pura.