O fim de um relacionamento

2166
Fotografia © Paul García Fotografía | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Paul García Fotografía | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Terminar um relacionamento amoroso é um processo que, por vezes, pode ser bastante doloroso. Pode causar mágoa, revolta, tristeza ou até mesmo descrença no amor. Contudo, um dos piores sentimentos que o fim de um relacionamento pode trazer é a expectativa.

Quando terminamos um relacionamento podemos estar em duas destas situações, na aceitação ou na expectativa.

No caso da primeira, significa que, por muito doloroso que esteja a ser o processo, aceitamos que este relacionamento terminou. Aceitamos que não é por ali o nosso caminho e aceitamos que a vida tem outra coisa reservada para nós. Com a aceitação inicia-se o processo de cura e de “limpeza” emocional.

A segunda situação é diferente. Quando estamos na expectativa, continuamos a viver no relacionamento, continuamos a aguardar que a outra pessoa mude de opinião, peça perdão, que mude, que altere o seu comportamento. Simplesmente, continuamos à espera de que a outra pessoa reformule a sua decisão. E, quando estamos nessa posição, damos o nosso poder pessoal à outra pessoa. Inconscientemente, deixamos que ela decida o que fazer com o nosso futuro.

Este estado de expectativa pode demorar dias, meses ou mesmo anos. Pode impedir-nos de iniciarmos novas relações. Pode impedir-nos de sentirmos novamente alegria e amor pela vida.

O fim de um relacionamento é sempre doloroso, mas, quando eu dou o meu poder a outra pessoa, o fim de um relacionamento pode transformar-se em sofrimento.

Então, como posso avançar para a fase de aceitação?

Tomo a decisão interna de que já chega, de que não me perco mais na outra pessoa. De que, por vezes, o desistir do outro é dizer sim a mim, ao meu amor, à minha vida.

Escolho a dor da aceitação à dor da expectativa.

Um beijo enorme e até já!

PARTILHAR
Artigo anteriorO Medo
Próximo artigoUm rei sem coroa
LÍGIA SILVA, a coach
Ela é autêntica, mulher e, acima de tudo, humana. Adora falar e escrever de coração para coração. Tem como principal paixão a descoberta da mente humana e adora que esta viagem seja feita com sentido de humor e com uma boa gargalhada. Acredita na simplicidade da vida e na possibilidade de cada um de nós fazermos aquilo que mais nos preenche.