A minha receita para ser(es) feliz

Desafio de escrita: «A minha receita para ser(es) feliz»

2347

Fotografia © César da Silva | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © César da Silva | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Estás perdido na imensidão do mundo e, sempre que cerras o teu olhar, imaginas uma vida simplificada – uma vida onde não precises tanto de lutar, uma vida que não te faça soltar lágrimas. Queres que te encontrem. Que te encontrem para lá daquilo que tu já sabes que és – daquilo que julgas ser. Tens um sonho, tens dois e até mesmo três. No entanto, aquela maldita força permanece no subsolo, sugando-te e prendendo-te à terra húmida, à qual os teus pés se mantêm presos. Tentas dar um passo, mas não te sentes seguro do passo certo.

Que passo irás dar?

Que motivação irás encontrar?

Afinal, só te queres encontrar. Só queres encontrar a tua felicidade. Queres repulsar as mágoas e atrair os abraços, a paz…

E se a felicidade fosse um cozinhado?

Na verdade, é. É a junção dos teus desejos e dos teus sonhos. É a junção do teu ser poderoso, que se mantém escondido dentro do teu corpo – dessa chama que ilumina o teu pensamento mais obscuro. É aquela chama que desejas tanto que te aqueça – que te torne mais forte. E pode! Só tens de querer! Só tens de ganhar a coragem e a perspicácia.

Ora bem, vamos então à receita para este cozinhado:

1. Três colheres de sopa de gargalhadas, para que, sempre que te sintas triste, teres um bom motivo para rir alto (e bem alto!).

2. Quatro sementes raladas de amor, para que o teu coração esteja sempre envolto pelo calor da paixão. Sementes, estas, que te farão pensar naqueles que, realmente, te dão força – tanto família como amigos!

3. Meio litro de autoestima, para que não te sintas em baixo e para que consigas combater as tuas inseguranças. Nunca conseguirás conquistar a felicidade se não acreditares em ti próprio. Este ingrediente pode ser perigoso em exagero, mas é totalmente seguro se for ingerido em quantidade moderada (meio litro está ótimo!). Caso se exceda a quantidade indicada, poderá causar efeitos secundários, como egocentrismo. (Não queremos isso!)

4. Uma pitada de paz de espírito, para que te sintas livre em ti próprio. Para que te sintas capaz de usufruir da calma e de seguir todo o percurso sem pressas. Paciência é um dos segredos vitais para esta receita!

5. E, por último, uma folha de ambição, para que nunca desistas dos teus sonhos e para que sintas vontade de lutar por eles a todo o custo e sem prejudicar ninguém! Tu consegues!

Agora, vamos cozinhar!

Vamos experimentar esta receita, porque eu também preciso. Preciso de saber que passo dar, sem ter medo de cair para a direita, tropeçar para a esquerda ou pisar um dos atacadores dos meus ténis para a frente. No entanto, para trás não vou! Não acredito no voltar atrás, mas, sim, no encarar de frente os obstáculos. É como parkour, mas na tua própria mente.

Por isso, salta por cima dos obstáculos, ganha confiança em ti, ama-te primeiro. Olha-te ao espelho e diz «Eu sou corajoso» e avança! Não é a vida que te vai atrasar. És tu!

Por isso, muda!

Ingere este cozinhado! Ingere a tua felicidade!

És tão forte! Não aches tão pouco de ti próprio!

Expande essa chama dentro de ti. Transforma-te numa bola de fogo. Conquista! Ama! Ri!

Eu estou contigo. Não estás sozinho.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA minha receita para ser(es) feliz
Próximo artigoA minha receita para ser(es) feliz
CÉSAR DA SILVA, o independente
Gosta de gelados - muitos gelados! Diverte-se com pouco e cansa-se da rotina facilmente. Gosta de rir e, acima de tudo, de escrever. Sente aquilo que escreve e imagina tudo num mundo totalmente diferente, criado na sua própria mente. Tem 22 anos e sempre conquistou a sua independência. Adora boas séries e bons filmes. É viciado em entretenimento. Escreve aquilo que sente e gosta de dar asas à sua criatividade.