Espero por ti em segredo

2392
Fotografia © Vero Photoart | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Vero Photoart | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Espero por ti em segredo, onde duas ruas se cruzam numa encruzilhada que sou. Não sei qual delas és, nem tu sabes quem sou, e assim nos encontramos neste desencontro que é a vida.

Quem disse que a vida era feita de uma só estrada? Quem disse que a vida é uma reta que devemos seguir sem olhar para trás ou sofrer desvios? Se há alguém que julga que tudo é como «deve ser» está redondamente enganado. Rio-me deles como me rio de mim próprio, quando julgo saber algo que nunca saberei talvez.

A vida, como a conhecemos, é uma espécie de morte constante. Tudo o que agora «é» rapidamente deixa de o ser, e nós, humanos, seres da suprema sabedoria, mentimos a cada palavra, julgando-a verdade absoluta.

Por isso, espero por ti, em segredo, nesta encruzilhada que sempre fui. Sem perguntas, nem respostas. Sem verdades, nem mentiras. Sem saber quem és e sem saber quem sou. Vivendo apenas, ou pensando viver, este desencontro da vida em que nos encontramos os dois.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorPrevisões 2017: Os planetas enlouqueceram
Próximo artigoPassou o ano sozinha, mas não estava só
DIOGO SILVA, o D(eu)s
Estudante na Faculdade de Letras de Lisboa, a escrita sempre foi uma paixão desde novo, mas, apesar disso, antes das letras foi a cozinha que passou no seu percurso, tendo concluído o curso de cozinha/pastelaria em 2010. Atualmente, além da escola, divide o seu tempo entre o futebol e a página de escrita que gere.