Esquece esse vestido…

2192
Fotografia © Kira Ikonnikova | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Kira Ikonnikova | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Não vistas o teu melhor vestido!

Aquele que tens guardado no fundo do roupeiro, só para os momentos especiais. Não o vistas hoje! Hoje não é um dia especial. Não há nenhuma festa de cerimónia, daquelas em que te vestes para os outros. As festas em que te arranjas e tentas mostrar ao mundo o melhor de ti. As festas em que te vestes para que te elogiem. Para que te digam que estás linda. Para que os outros usem palavras que não são suas, para elogiar a beleza que tu tens e que eles não conhecem.

Não, hoje tu não vais usar esse teu vestido!

E sabes porquê? Hoje não é um dia especial. Hoje é um dia para seres especial. Para que não reparem no teu vestido. Para que te elogiem somente pelo teu sentir. Hoje, nada mais existirá do que a beleza que emprestas aos teus sentimentos. Aquela pureza que tu tens, e que está para além das tuas lindas curvas. Hoje será dia para te dizerem o quanto és bela, e ainda mais bela por dentro do que por fora.

Hoje, vou dizer-te que és linda, até quando estás despida.

Quando não usas o teu lindo vestido. Quando não te produzes para o mundo. Quando estás nua, como estás agora, aqui, à frente dos meus olhos. Tão nua, que te vejo todos os recantos lindos dessa tua alma. Esses recantos maravilhosos que me conquistaram, e que o mundo, que tanto te elogia, não conhece.

Hoje, sinto a beleza da tua pele. A pureza da pulsação desse coração, quando juntos dividimos a emoção do amor que nos une. A beleza deste sentimento que é só nosso. Ficas tão linda, vestida apenas com esse teu sorriso. O sorriso de quem acabou de provar o sabor da vida. Vestida com a sensualidade que te pertence e que só ousas dividir comigo.

Sim, tu acabaste de saborear a vida, num momento especial. Um momento em que não precisas desse maldito vestido que tanto evidencia as tuas curvas. O vestido que faz com que todos fiquem a olhar para ti, quando passas. Com que todos os olhos estejam postos em ti. Hoje, sou eu que te vou despir com um só olhar. O olhar de quem te conhece e te sabe desejar.

E, agora, diz-me a que sabe a vida?

Que gosto te ficou na boca, depois do nosso último beijo? A que cheira o teu corpo, depois das minhas mãos terem navegado nele, sem destino, deixando-se levar apenas pela magia do nosso momento?

Tens consciência de que este, sim, é um momento especial?

Aquele que não tem hora, nem dia marcado. Aquele que acontece porque dois corpos se desejam e se despem dos seus trapos. Os trapos em que todos reparam e que escondem a verdadeira essência destes dois corpos.

Tens consciência de que viver é isto? Despirmo-nos com gosto para a vida. Ficarmos nus e, ao mesmo tempo, vestidos com este sentimento que nos confortou as almas. Aconchegados pelo sentimento tão terno, que os olhos do mundo não consegue ver. Ficarmos nus em frente de quem amamos, sem medos, nem mantos que tapam as emoções que sentimos.

Esquece esse vestido. Não precisas dele para seres feliz! Não precisas dele para ficares linda. Linda é a tua alma e essa sou eu quem a sabe amar e elogiar.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorNão deixes acabar!
Próximo artigoPrevisões 2017: Os planetas enlouqueceram
ANGELA CABOZ, a miúda gira
Nasceu em Tavira há 49 anos. Desde a adolescência que é uma apaixonada pela leitura, pela escrita, pelo cinema e pela música. Escreve sobre sentimentos e, nas palavras, reflete a maneira de ver e de sentir o mundo. Em 2014, realizou um sonho: a publicação do seu livro «À procura de um sonho». Desde então, tem participado em várias obras coletivas.