Confia nos sinais!

3176
Fotografia © Brooke Cagle | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Brooke Cagle | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Existem momentos em que nos sentimos completamente perdidos, em que não sabemos que direção tomar e, principalmente, deixamos de sentir dentro do nosso coração a presença daquela voz que nos diz: «Está tudo bem. Está tudo certo.»

Normalmente, estes são os momentos em que as coisas não acontecem como nós queremos, em que as relações não funcionaram ou não funcionam, em que as pessoas já não estão lá, em que os objetivos não foram atingidos ou tornaram-se um peso e uma luta.

É nesses exatos momentos que precisamos de ver além do que é tangível.

Acredito que, na vida, existem dois tipos de sinais: os tangíveis e os que não são tangíveis.

Os primeiros são os mais simples e os mais fáceis de confiarmos, porque estes aparecem quando tudo dá certo: a relação que funciona, o objetivo que atingimos, a pessoa que aparece. Os segundos, esses, são os mais necessários e, por vezes, são os mais difíceis de trazermos para a nossa vida.

Os sinais que não são tangíveis são essenciais na nossa vida, porque nos ajudam a continuar a acreditar, mesmo quando a nossa vida não está a fluir como nós queremos. Estes sinais são aqueles que nos ajudam a acreditar no melhor do ser humano, no melhor da vida.

Esses sinais são sensações, sensações internas de paz e de amor, que precisamos diariamente de trazer para o nosso dia.

Hoje, deixo aqui algumas dicas que nos ajudam, diariamente, a encontrarmos dentro de nós esses sinais:

  1. Caminhar diariamente com mochilas de humildade.
  2. Acreditar de coração que estamos a fazer o nosso melhor e que a vida compensa sempre quem faz o seu melhor.
  3. Cuidar do outro. Principalmente, quando não está ninguém a ver.
  4. Dar simpatia, presença e amor ao outro.
  5. Encontrar momentos de silêncio para começarmos a ouvir o nosso coração.
  6. Aprender a distinguir a voz do ego da voz da intuição.
  7. Escolher sempre o caminho que dá maior paz interior, mesmo que não seja igual ao caminho dos outros.
  8. Aprender a encontrar as respostas para a questão: «O que é que eu quero?»
  9. Continuar a sonhar. Continuar a sentir que é possível.
  10. Viver acreditando que existem milhões de possibilidades para concretizarmos aquilo que queremos e que ainda só experimentamos uma parte.
  11. Caminhar diariamente com mochilas de paciência, amor e muita confiança na vida.

Um beijo enorme e até já!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorVou trabalhar. Xau
Próximo artigoDizer «amo-te» não é, de todo, inadequado
LÍGIA SILVA, a coach
Ela é autêntica, mulher e, acima de tudo, humana. Adora falar e escrever de coração para coração. Tem como principal paixão a descoberta da mente humana e adora que esta viagem seja feita com sentido de humor e com uma boa gargalhada. Acredita na simplicidade da vida e na possibilidade de cada um de nós fazermos aquilo que mais nos preenche.