Contrariedades

344
Fotografia © Allef Vinicius | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Allef Vinicius | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Porque me dóis tanto assim?

Porque me libertas assim?
Rasgas a minha alma, sangras o meu coração e fazes-me querer-te tanto assim.
Porque me dóis tanto assim?
Porque me libertas assim?
Não te quero, querendo-te tanto assim.
Porque te choro tanto, sorrindo-te assim?
Porque te aproximo tanto, afastando-te assim?
Não (te) quero que me doas tanto assim!
Não (te) quero que me libertes tanto assim!
Não te quero…
Querendo-te tanto assim!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorUm olhar
Próximo artigoÉ só medo
LILIANA FONSECA, a blue angel
Em busca da Arca dos Sonhos, descobriu nas palavras a primeira chave... Tímida por defeito​ genético, coloca na escrita o seu à vontade, o seu saber, de quem tem muito ainda para aprender. Gosta muito de rir e fazer rir, mas também chora quando assim tem de ser. Caçadora de sonhos, adora partilhá-los com a gente desta «terra». Gosta de teatro e ainda mais de o fazer. Já fez dramas, revistas à portuguesa e atualmente comédias. Recebeu uma Menção Honrosa no teatro, pelo seu desempenho, como «Madalena» em «O Processo de Jesus». Adorava ter uma música para um dos seus textos. Ah! E, já agora, adora uma flor amarela.