Arco-íris: o lugar onde tu estás

1402
Fotografia © Todd Cravens | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Todd Cravens | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Sabes aquele lugar onde começa e onde termina o arco-íris, que tentas alcançar para poder tocá-lo? É aí que tu estás.

Sabes aquele limiar entre o dormir e o acordar, onde confundes as realidades, em que transportas sons da vida real para os sonhos? É nesse preciso instante que sonho com a nossa vida a dois.

Sabes aquele momento de metamorfose, em que a lagarta se transforma em borboleta? É durante essa transformação que tenho a certeza que és a minha outra metade.

Sabes a luz dourada de um crepúsculo, tão bela e, simultaneamente, tão fugaz? É sob a magia dessa luz que me sussurras ao ouvido «amo-te» e me deixas o sabor do teu beijo.

Sabes quando estás a atravessar uma ponte, onde não pertences, nem a um lado nem a outro? É exatamente nesse lugar, onde permanecemos por breves instantes, que trocamos palavras de amor eterno.

A linha ténue entre a razão e o coração, entre o querer e o libertar, entre o tudo e o nada, entre o sonho e a realidade. Tão ténue que ainda hoje me questiono: existes mesmo ou és ilusão como o arco-íris?

Apareces no momento raro em que o sol brilha sobre a chuva, dás um ar da tua graça, sorris, fazes-me sonhar outra vez. E, depois, de forma repentina, desapareces.

E, quando tento alcançar-te, sentir-te, não consigo. Tudo não passa de uma ilusão. Uma imagem da minha cabeça, um sentimento do meu coração, um desejo da minha alma.

Nunca consegui chegar a ti. Nunca consegui trazer-te a mim. Continuas nos meus sonhos.

Seguramente é aí que tu estás – no limite do arco-íris.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA culpa
Próximo artigoChora, minha princesa
CARINA MAURÍCIO, a fotógrafa
É budista e conservadora-restauradora. É de riso e choro fáceis. Tem tanto de sensível, quanto de corajosa e lutadora. Adora fotografar, jogar ténis e viajar. Viciada em comida, é fã de comida italiana. Gosta de dormir, de café, de chocolate. Dançar? Pode ser a noite toda. Mas também gosta de ficar na ronha, em casa, entre filmes e pipocas. Adora o som da chuva a cair no inverno e o som do mar em dias de verão. Campos floridos enchem-lhe o olhar, assim como as cores das folhas do outono. Apaixona-se facilmente e é uma apaixonada pela vida. Uma geminiana pura.