Eu também choro

1459
Ilustração/Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Ilustração/Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Eu também choro. Choro com todas as forças que me restem se assim tiver de ser. Não sou forte o tempo todo. Quantas vezes me sinto no limite das minhas forças, com raiva, com tristeza, com dores na alma, com saudades, com angústia, com o coração apertado e pequenino!

Também tenho dúvidas, inseguranças, medos e cometo erros. Sou humana, sinto, e não tenho medo de o mostrar. Deixo cair todas as lágrimas reprimidas e fico assim na esperança que chegues e tragas aquele teu abraço, que me aquece cá dentro e me serena, que me seques as lágrimas e me digas que vai ficar tudo bem, que não estou sozinha.

E, assim, eu vou respirar fundo, vou acreditar em ti e sorrir outra vez.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorSonhar, amar e viver!
Próximo artigoA culpa
HELENA ISABEL, a misteriosa
Nasceu em dezembro de 1983. Diz-se uma «exploradora da vida». Gosta de ler, de escrever e de pintar. Não da pintura dos guaches e dos pincéis. Mas da pintura com as palavras. É apaixonada, irreverente e sensível a tudo o que a rodeia. Prefere um segundo de realismo a uma eternidade de sonhos.