Tolerar um fracasso e continuar a lutar

522

 

Fotografia © Snufkin | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Snufkin | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Possivelmente, este será o titulo mais apropriado para a folha em branco do meu coração. Tolerar o fracasso de amar demais quem só nos dá metades. Não é fácil quando a cabeça diz não, e o coração suplica sim.

Sim, dá-me mais! Muito mais. Eu quero tudo!

Quero o desejo, o carinho, o olhar, o toque. Quero o entrelaçar dos nossos dedos, o sabor dos nossos beijos como se não houvesse amanhã. Quero sentir-te, porra!

E tu? Já não queres? Se não, diz-me, por favor.

Não me deixes neste embalo de vai ou não vai. De quero, mas não posso. Porra, diz qualquer coisa! Não fiques nesse silêncio irritante e barulhento, que não diz nada e, ao mesmo tempo, diz algo.

Mas o quê? Fala!

Diz o que sentes, diz o que queres — para eu saber o que posso sentir e o que posso querer.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA despedida
Próximo artigoDepois do antes
LILIANA FONSECA, a blue angel
Em busca da Arca dos Sonhos, descobriu nas palavras a primeira chave... Tímida por defeito​ genético, coloca na escrita o seu à vontade, o seu saber, de quem tem muito ainda para aprender. Gosta muito de rir e fazer rir, mas também chora quando assim tem de ser. Caçadora de sonhos, adora partilhá-los com a gente desta «terra». Gosta de teatro e ainda mais de o fazer. Já fez dramas, revistas à portuguesa e atualmente comédias. Recebeu uma Menção Honrosa no teatro, pelo seu desempenho, como «Madalena» em «O Processo de Jesus». Adorava ter uma música para um dos seus textos. Ah! E, já agora, adora uma flor amarela.