Qual o tamanho do teu novelo?

1411
389_ligiasilva_t1
Fotografia © Lígia Silva | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Por vezes, a nossa vida ganha contornos em que sentimos que perdemos o controlo. A nossa mente e as nossas emoções transformam-se num pequeno novelo. Esse novelo ganha tanta intensidade, que o que antes era simples e o hoje se torna complexo e intenso, arrastando consigo o esforço e a resistência. Os sentimentos misturam-se e somos invadidos por dezenas de vozes que bloqueiam a voz mais importante, aquela que chega diretamente do coração.

A maior parte de nós anda diariamente, dentro da sua mente e do seu coração, com este novelo, cheio de nós e confuso. E, por vezes, temos pensamentos, comportamentos e ações que nos fecham ainda mais o nosso coração e retiram a clareza e a certeza que a nossa mente necessita para avançar na sua vida.

Então, o que intensifica o nosso novelo?

Quando nos comparamos com os outros, comparamos vidas, objetivos, valores, esquecendo de olhar para o bom e para o valor que trazemos dentro do nosso coração. Quando repetimos, mentalmente, vezes sem conta que não somos capazes, que não somos suficientes, que não temos confiança, que temos medo, esquecendo que o medo vai sempre fazer parte do nosso caminho e que é na ação que o enfrentamos.

No momento em que os nossos olhos apenas encaram o erro, a falta, a escassez e o mau de cada situação, esquecendo que aquilo em que colocamos a nossa atenção ganha mais força na nossa vida. Quando acreditamos que estamos sozinhos e que somos os únicos a passar pelas situações mais difíceis, esquecendo que, quando partilhamos com os outros, os nossos problemas, estes, deixam de ter tanta força.

No momento em que sentimos vergonha dos erros que cometemos, esquecendo que somos humanos e que merecemos encarar as nossas vulnerabilidades com compaixão. Quando deixamos de ter tempo para fazermos aquilo de que gostamos, esquecendo que são essas pequenas coisas que nos dão a coragem para enfrentarmos os problemas.

O nosso novelo ganha ainda mais força e intensidade, quando guardamos para nós as nossas fragilidades, os nossos medos, as nossas inseguranças; quando corremos atrás da ideia de que o tempo resolve tudo. Contudo, é importante que cada um de nós, ao seu ritmo, comece a desenvolver o seu próprio novelo, de forma a conseguir ter uma vida mais simples e mais fluída.

Por isso, hoje deixo-te aqui algumas dicas para começares a desenrolar o teu novelo:

  1. Para. Retira para ti apenas 5 minutos do dia em que consegues respirar de forma consciente. Em que respiras profundamente e começas devagarinho a ganhar controlo sobre o teu estado emocional, sobre as tuas emoções.
  2. Implementa pequenas decisões. A nossa mente precisa de sentir que estamos em ação. Por isso, se ainda não consegues dar os grandes passos, ou se ainda não sabes que decisões podes implementar, identifica pequenas alterações: por exemplo, respirar de forma consciente durante 5 minutos.
  3. Direcciona a tua mente para o que queres. Quanto mais te focas no problemas, mais intensificas o teu novelo. Por isso, direcciona a tua mente para as respostas que pretendes encontrar.
  4. Sê consistente. Um dos grandes desafios do ser humano é a consistência. Quantos de nós deixamos de fazer aquilo que nos fazia bem? Escolhe um hábito saudável que queres implementar na tua vida e implementa de forma consistente.

Desejo de coração que o teu novelo diminua e que comece a ficar mais simples e, acima de tudo, que ganhes uma maior clareza.

Um beijo enorme e até já!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorSexo… sem amor
Próximo artigoO pior mais verdadeiro
LÍGIA SILVA, a coach
Ela é autêntica, mulher e, acima de tudo, humana. Adora falar e escrever de coração para coração. Tem como principal paixão a descoberta da mente humana e adora que esta viagem seja feita com sentido de humor e com uma boa gargalhada. Acredita na simplicidade da vida e na possibilidade de cada um de nós fazermos aquilo que mais nos preenche.