Quando parece que fala

4006
Fotografia © Ondrej Supitar | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Ondrej Supitar | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Sempre achei que nada, nesta vida, é por acaso. Estou convicta de que até um simples sorriso é suficiente para enriquecer o nosso dia.

Um sorriso, por mais simples que seja, por mais indireto que pareça, é um sorriso!

Quase que nos convence, em frações de segundo, de que não estamos nesta vida por acaso e de que existe sempre alguém que nos leva ao de cima. Sim, nem que seja por frações de segundos, repito.

A alma arregaça a sua graça e da boca sai a cor, a vida, o momento. Da boca sai o amor, as primeiras obras para a conquista. De um sorriso desbota as primeiras palavras silenciadas pelo olhar, os primeiros passos para um caminho iluminado.

É assim quando um sorriso parece que fala…

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorTenho medo de cair, outra vez
Próximo artigoA criatura
PAULA VIEIRA, a miúda dos instantes
Ela é a Natureza, a força sem noção, e portadora de uma alma leve — de um diamante em bruto. Ela é a vontade de viver e de conhecer o que está mais além. Ela é a ternura por desvendar, é o horizonte por alcançar. Ela é o ativo em pessoa — exercita o corpo e a mente. É esfomeada — não literalmente, mas sim pela vontade de conhecer. Escreve e desafia as palavras. Vive e anseia pelo amanhã! É uma alucinada pelas descobertas e, quando ama, ama sem dó, nem piedade... Ela é assim. É a Paulinha!