Usa-me…

1371
Fotografia © Aral Tasher | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Aral Tasher | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Usa-me! Sim, estou aqui agora. Usa-me!

Mostra-me a intensidade desses sentimentos que moram dentro de ti. Deita cá para fora todo esse desejo que tentas suicidar, quando escondes tudo o que estás a sentir.

Ontem, ao passar por ti naquela rua estreita, senti a fogueira da tua tentação a arder. Disfarçavas um olhar para o meu decote. Mas eu senti como tudo em ti ardia naquele instante. Não conseguias ocultar o desejo que te consumia. Então, aceleraste o passo para saíres dali. Tinhas receio que incendiasses tudo à tua volta, tamanha era a vontade que tinhas de me tocar. A vontade que te perseguia e o desejo imenso de que eu fosse tua.

Sabes, uma mulher não precisa de olhar para um homem para se sentir desejada. Por vezes, o odor do desejo masculino é tão intenso que se entranha em nós. Sentimos na nossa pele o calor da vossa tentação. E foi essa certeza que tive ontem. Tu desejas-me, como se não existisse amanhã. O teu desejo era tanto, que tu fugiste dali a sete pés. Amavas-me e, ao mesmo tempo, tinhas medo dessa paixão que te consumia.

Hoje, estou de novo aqui. Por isso, usa-me. Faz-me tua. Mostra-me tudo o que sentes. Por instantes, julguei que hoje não vinhas. Que passarias por outra rua, só para não teres de te cruzar comigo. Mas o meu coração de mulher sábia sabia que tu não és homem de fugir ao amor.

E aqui estás tu. À minha frente. Hoje, decidi acampar no meio da rua. Assim, tens de passar sobre mim para continuares o teu caminho. Hoje, decidi que não irias fugir de mim.

Vá lá, usa-me. Eu sei que te apetece abraçar-me. Vejo isso no teu olhar. E também sei que, depois desse abraço, te entregarei o meu corpo. O abraço será apenas o primeiro passo para deixares de sentir esse embaraço. Quando me abraçares tudo deixará de ser estorvo. A tua mente deixará de pensar e será o coração que te vai dar ordens.

Não te demores. Não gastes o pouco tempo que temos para pensares. Deixa isso para mais tarde. Chega-te mais para mim e usa-me. Junta o teu corpo ao meu. Sente a batida do meu coração no teu peito. Deixa que as tuas mãos façam uma viagem por mim. Escuta os ensinamentos do teu coração. Ele sabe exatamente a rota que tu queres seguir. Deixa-te levar, deixa que o desejo se solte de ti. Ele sabe tudo o que vai encontrar. Os medos vão desaparecer. O calor vai aumentar e as humidades vão aparecer. A paixão acaba sempre por ganhar esta batalha.

Deixa sair todo esse amor que existe dentro de ti. Ainda não percebeste isso. Vamos dividi-lo pelos dois. Vamos partilhar esta paixão que nos atormenta. Este desejo que te implora por mim. As tuas mãos que querem tocar o meu corpo. Vem, usa-me. Hoje, serás só meu. Hoje é o nosso dia. Não deixes que o amor nos mate. Não deixes que esta paixão morra.

Ama-me. Usa-me. Vamos ser felizes aqui e agora. Deixa tudo o resto para depois. Tenho saudades de te conhecer, ainda antes mesmo de te ter provado. Mais logo, quando a noite amanhecer, falamos sobre este sentimento que descobrimos que existia em nós. Juntos perceberemos o que fazer com ele. Mas, agora, usa-me e não penses em mais nada.

PARTILHAR
Artigo anteriorPorque viver é mesmo assim
Próximo artigoEra amor. Ainda é
ANGELA CABOZ, a miúda gira
Nasceu em Tavira há 49 anos. Desde a adolescência que é uma apaixonada pela leitura, pela escrita, pelo cinema e pela música. Escreve sobre sentimentos e, nas palavras, reflete a maneira de ver e de sentir o mundo. Em 2014, realizou um sonho: a publicação do seu livro «À procura de um sonho». Desde então, tem participado em várias obras coletivas.