Ela e o amor

1704
Fotografia © Alexander Shustov | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Alexander Shustov | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Ela acredita no amor com início, meio e sem um fim. Ela tem um jeito doce de menina romântica e de mulher decidida que sabe bem o que quer. Entrega-se de corpo e alma ao amor, pois o amor é o seu respirar. Sente por inteiro e ama por completo. Ela tem intensidade na sua essência. No mar da sua alma, há dias de tempestades selvagens com relâmpagos que ferem e dias de paixão que tudo iluminam.

Ela despreza as incertezas presas a um talvez de uma vida morna, as conversas superficiais e deixou de ser o que esperam dela, para ser, a cada dia, mais ela e mais fiel a si própria, pois o maior desafio da vida é ser ela mesma num mundo que tenta igualar as pessoas umas às outras. Vai existir sempre alguém mais isto, ou mais aquilo, mas nunca ninguém será igual a ela. Jamais irá abrir mão da sua essência para ser o que os outros querem. Ela cortou as amarras que prendem aos estereótipos e perfeições de belezas ocas, pois acredita na beleza que vem de dentro.

Ela não gosta de solidão, mas só vive em lugares profundos e em lugares profundos são poucos os que se aventuram.

Ela é uma espécie rara. Como ela, restam muito poucos. Porque ela acredita no amor, e, apesar da vida tantas vezes a ter tentado demover, ela nunca irá deixar de acreditar.

Ela não perde a esperança, mesmo que aos olhos dos outros tudo pareça perdido. Ela é única e especial e todos os dias se veste de sorrisos embrulhados em autoestima. Ela vive intensamente e jamais deixaria que outros o impedissem.

Ela nasceu livre e voa nos seus sonhos de menina mulher e, noite após noite, ela pousa numa suave caricia junto de ti.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA solidão é o espelho da vida
Próximo artigoO melhor da vida é amar-te
HELENA ISABEL, a misteriosa
Nasceu em dezembro de 1983. Diz-se uma «exploradora da vida». Gosta de ler, de escrever e de pintar. Não da pintura dos guaches e dos pincéis. Mas da pintura com as palavras. É apaixonada, irreverente e sensível a tudo o que a rodeia. Prefere um segundo de realismo a uma eternidade de sonhos.