Tu em mim

508
Fotografia © Anabela Mata | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Anabela Mata | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Olhei no espelho… O reflexo da mulher adulta. As marcas do tempo que passa a uma velocidade feroz.

Mas não são as marcas que me importam. Não é isso que busco no espelho. Através dos meus olhos, o que vês? A mulher que o espelho reflete quem é? Era isto que querias ver?

Se hoje me abraçasses, era orgulho que sentirias por dentro desse abraço? Se hoje me olhasses, era admiração que estaria nos teus olhos? Se hoje me desses a mão, ela guiar-me-ia pelos mesmos caminhos? Se hoje me pudesses falar o que me dirias, mãe?

Olhei no espelho… A mulher adulta, que já não cabe no teu colo, viu a menina que carregaste sempre no teu amor.

Voltei lá, mãe, ao sítio e ao tempo onde me ensinavas a crescer, ao sítio e ao tempo em que eras tu que me inspiravas e me ensinavas a ser!

Se hoje estivesses tu aqui, em vez deste espelho, estarias feliz pelo que sou? Se hoje estivesses aqui, verias em mim um reflexo de ti?

Hoje, olho no espelho e consigo ver-te… Estás sempre aqui, no mais fundo de mim!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorPedaços inteiros
Próximo artigoÉ sempre assim no dia da despedida
ANABELA MATA, a bella
Ela é uma mulher ativa, vegetariana e adepta da vida saudável. Por isso, adora cozinhar, dançar, viajar e, sim, escrever — para ginasticar as emoções. Escreve com o coração: esse, que sente, ama, sofre, é feliz. Adora sorrir. Quase se poderia dizer que ela é a Bella porque é assim que vê a vida.