Perdoa-me

819
Fotografia © Evan Kirby | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Evan Kirby | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Errei e tu também já erraste. Desiludi-te? Também tu a mim, e eu tive forças para acreditar em ti, tal como agora tu tens de ter para acreditar em mim. Custa? Sim, e a mim também me custou. Vives pesadelos? Também mos causaste.

Aceita o meu perdão, como aceitei o teu, e volta a acreditar em mim. Eu também o fiz por ti. Abre-me os braços, como eu te recebi. Volta a fazer-me feliz e eu feliz te farei. Apoia-me e eu nunca te faltarei. Ama-me, como sempre te amei.

Ama-me e para sempre te amarei.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorPor favor, que não seja mais tarde!
Próximo artigoSomos indecifráveis
HELENA ISABEL, a misteriosa
Nasceu em dezembro de 1983. Diz-se uma «exploradora da vida». Gosta de ler, de escrever e de pintar. Não da pintura dos guaches e dos pincéis. Mas da pintura com as palavras. É apaixonada, irreverente e sensível a tudo o que a rodeia. Prefere um segundo de realismo a uma eternidade de sonhos.