A tua vida tem mais importância do que pensas

1083
Fotografia © Julia Caesar | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Julia Caesar | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

E, aos poucos, fui recuperando. Fui-me agarrando a tudo aquilo que me faz feliz, mas que, em algum momento da vida, deixei para segundo plano. Voltei a colocar como prioridade as atividades que me fazem sentir viva. Passei a preencher o tempo com motivos para sorrir, ao invés de passar os dias a chorar. Comecei a ler a mais, a escrever mais, a passear mais, a sonhar mais, a viver mais.

Já me tinha esquecido de como é bom alimentarmos a alma com a aquilo que nos faz bem. E, se a nossa alma estiver bem, o corpo também está.

Aos poucos, fui deixando de me sentir permanentemente triste e sem vontade de me levantar da cama. Fui ganhando uma nova razão para viver. Todos os livros por ler, todas as palavras por escrever, todos os sítios por visitar, todos os sonhos por realizar e toda uma vida por viver foram os motivos que me trouxeram uma nova alegria.

Por isso, se, tal como eu, passaste (ou estás a passar) por uma fase em que pensas que a tua vida não tem rumo, desengana-te. A tua vida tem mais importância do que pensas. Encontra aquilo que te faz bem e preenche a tua vida com isso. Vais ver que, aos poucos, vais recuperar.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA Laurinha tinha manias
Próximo artigoPor favor, que não seja mais tarde!
NÁDIA BENTO, a menina de Cascais
Tem 24 anos e nasceu em Cascais. Lembra-se de começar a gostar de escrever depois de ler o primeiro livro do Harry Potter: no final da leitura, meteu as mãos à obra e escreveu um resumo da história do livro — e das outras seis dos restantes livros. Paixões: fotografia, viajar. Um dia, gostava de escrever um livro de literatura juvenil. «É o que mais gosto de ler», diz.