O amor é assim

418
Ilustração/Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Ilustração/Cartaz © Laura Almeida Azevedo

O amor é dramaticamente bom, com jeitos de melancolia que se saboreia e não se quer parar. Palavras que nos vão enchendo o coração: umas vezes de alegria e outras de dor… Mas não conseguimos parar de as saborear e querer mais. É o amor. É assim. Saboreia-se às colheradas, quer seja doce ou amargo. Saboreia-se, porque se gosta de qualquer forma.

Consigo ler o teu interior e ir à origem das tuas inspirações, como se um gigante e turbulento rio de palavras subisse até à nascente e encontrasse o éden, a fonte das fontes, na pureza da sua criação. E dessa tua água bebo as tuas palavras e chego ao teu íntimo, desde a essência do teu ser até ao mais imenso de ti, ao teu coração. Aí, satisfaço a sede da procura, o prazer de alcançar o mais profundo, misterioso e belo dos teus sentimentos, o teu amor. Aquele que tens por mim… e que, a cada dia que passa, me faz amar-te cada vez mais também a ti.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorA aritmética da vida
Próximo artigoContigo sou um poema
HELENA ISABEL, a misteriosa
Nasceu em dezembro de 1983. Diz-se uma «exploradora da vida». Gosta de ler, de escrever e de pintar. Não da pintura dos guaches e dos pincéis. Mas da pintura com as palavras. É apaixonada, irreverente e sensível a tudo o que a rodeia. Prefere um segundo de realismo a uma eternidade de sonhos.