És tu que escreves o teu livro

883
Fotografia © Josh Felise | Cartaz © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Josh Felise | Cartaz © Laura Almeida Azevedo

Sentadas na esplanada, naquele final de tarde, ela diz-te com uma voz forte: «Ele não te merece.» «Não vale a pena. És mais que isso.»

A voz que fala é daquela amiga que te quer bem, que está contigo, que te limpa as lágrimas e segura os teus suspiros. Enquanto tu olhas com um vazio, como se te tivessem arrancado o coração. Aos teus olhos, o tempo parou.

Mas sabes que mais? Ela tem razão. Sabes, não vale a pena tentar calçar um sapato que não nos serve, porque magoa, não foi feito para nós. Insistir nisso só vai trazer dissabores. Lembra-te: o coração é teu, só teu, continua aí, ninguém te arrancou. Valoriza-te. Vê a mulher fantástica que és. Tens tudo para ser feliz: tu própria. Nós somos encarregues das nossas escolhas, e a escolha é ser feliz. Só tu podes fazer isso por ti. Não é clichê. É uma verdade universal. Existe um mundo à tua espera. Deixa ficar só o que vale a pena.

Nada de rancores. Nada de maus sentimentos. Não era para ser, não era para ser. Aceita e fica grata porque o que te fazia infeliz saiu do teu caminho. Só tu podes fazer isso por ti. Ninguém é perfeito. Esta vida é uma aprendizagem. São normais os erros, inatos, mas podemos aprender com eles.

As coisas mudam, e o copo, que antes estava meio cheio, passa a parecer meio vazio. Portanto, desafio-te a seres a tua escolha. A tua prioridade. O teu ponto de viragem. De nada adianta caminhar em frente, quando as direções são apostas. Nada adianta, quando as pontes caem e não há passagem para o outro lado. Tudo tem o seu tempo. Quando o tempo passar (dizem os sábios que ele ajuda), vais guardar só o que é bom para guardar, limpas a alma e respiras fundo, olhas para trás e vês que foi o melhor. Que tudo o que parecia mau ontem é melhor hoje. Que a chuva de ontem é sol hoje. Que a lágrima virou sorriso. Que o suspiro de tristeza virou gargalhada de alegria. O riso vai-se formar no teu coração.

Vais ver as páginas viradas, ao abrir o livro da tua vida e ler que és feliz, que tu foste a autora dessa felicidade. Afinal, és tu que escreves o teu livro. Por isso, escreve o teu happy ending.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorDiria que te amo
Próximo artigoEste não é um conto de fadas
SOFIA ALMEIDA, a professora
É feita de sonhos, de saudades, de amor. É feita de coragem, de abraços, de risos e de gargalhadas. É feita de bom humor e de algum mimo também. É feita de uns dias melhores e outros assim assim. É um pouco do que lê, do que vê, do que ama, do que guarda. É também um pouco daqueles que ama, daqueles que ouve, daqueles que estão aqui, bem dentro, no seu coração. É feita de algumas fraquezas, algumas conquistas, alguns desafios. É feita de um amanhã, de um hoje e de um ontem, que já passou, mas que faz ainda parte de si. É a Sofia.