Síndrome da roupa suja

780
Fotografia © Inês Diniz | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Inês Diniz | Design © Laura Almeida Azevedo

Está provado que dez, em cada dez mães, têm “problemas de coração”, cuja causa principal é a roupa.

Para começar, acredito que possam existir mais mães, além da minha, cuja filosofia de vida é: «Se correres e caíres, prefiro que rasgues o joelho do que as calças.»

O segundo problema, relacionado com a roupa, é o sangue.

Por exemplo, quando chega o verão, e devido a uma maior exposição solar e à subida da temperatura, há uma maior probabilidade de nos rebentar uma veia do nariz. E é aqui que entra mais um dos incríveis comentários das nossas mães, que se resume à frase: «Eu sei que estás quase a cair para o lado com falta de sangue, mas, por amor de Deus, não me sujes a roupa, porque depois não há antinódoas que tire essa mancha.»

Temos ainda algumas mães, como a minha, cujo número de rotações da máquina da roupa é diretamente proporcional ao número de batimentos cardíacos por minuto.

Este fenómeno, a que talvez possamos chamar de “Síndrome da Roupa Suja”, é causado por inúmeros traumas vivenciados anteriormente com outras máquinas, cujo tambor se lembrou de cair.

Resumindo, quero sugerir a todas as marcas de detergentes, amaciadores e anticalcários que, para o bem da humanidade, colem uma embalagem de calmantes nos seus produtos.

P.S.: Mãe, sabes que gosto muito de ti e admiro todo o carinho com que tratas da minha roupa.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorNesse encontro previsto
Próximo artigoUm beijinho da tua irmã
INÊS DINIZ, a teimosa
Ela é estudante. E tem apenas 14 anos. Gosta de fazer trabalhos manuais e é uma apaixonada pela leitura. Gosta muito de crianças e, por isso, quer ser Educadora de Infância. Se lhe pedirmos para escolher uma frase, com a qual se identifique, é esta: «Tu não és tu, quando tens fome.»