Como a água que me mantém vivo

896
Fotografia © Celestino Magalhães | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Celestino Magalhães | Design © Laura Almeida Azevedo

Pensar em ti é pensar na vida. És o meu ar e sangue que flui nas minhas veias. És o significado do que me mantém vivo e o alento que me faz levantar todas as manhãs com a força para vencer e viver, por completo, todos os segundos do dia. Recordas-me, a cada segundo, como é importante viver o próximo e acreditar! Sim, acreditar é o que mais me importa na minha vida. Acreditar no que sinto, no que respiro e no que desejo.

Tenho consciência de que a minha vida tem um objetivo claro. O caminho está traçado. Só precisa de ser percorrido.

Lembro-me dos primeiros segundos em que o meu olhar deslumbrou a resplandecência do teu ser, qual lufada de ar fresco num dia quente de verão a beijar-nos o rosto. Fiquei apaixonado pelo teu sorriso, pela profundidade do teu olhar. Acreditei sempre nesta paixão, que os nossos caminhos se cruzariam mais profundamente um dia, onde os dedos das nossas mãos se entrelaçariam e os nossos sentidos seriam trocados.

Sou um ser de paixões fortes, que as vive intensamente, além do que dizem ser normal, e que se entrega completamente, sem reservas nem interrogações. Sou um homem que acredita nos sentimentos, que acredita nas primeiras visões. Ver-te é algo extraordinário. Tudo para à volta quando te vejo. Nada mais existe. O tempo para e só prevalece o momento entre nós dois.

Pensar em ti é ter o sorriso sempre no rosto, é ter as lágrimas na face, é ter a alma limpa e sentir a leveza da vida. Vejo-te em tudo e em todos os lugares. As coisas mais simples lembram-me de ti. És o raio de sol que me bate no rosto, a brisa que me beija os lábios, a gota da chuva que me lava a face. Ouvir a tua voz é como receber uma pauta musical. Cada palavra que dizes transforma-se numa nota e as nossas conversas em verdadeiras melodias. Ver-te é contemplar uma obra de arte, um Van Gogh ou um Salvador Dali nunca antes contemplados, que permaneceram escondidos durante todos estes anos e agora, finalmente, veem a cor do céu. Roubar o teu cheiro faz de mim o maior criminoso à face da Terra, pois sei que roubo um tesouro de valor inestimável.

O tempo fará o seu trabalho e continuo a ser fiel ao seu juízo e aconselhamento. Acredito em tudo o que foi dito e escrito, pois sei que tudo isto acontece espontaneamente. É sentido sem ser pensado.

És a água que me mantém vivo, assim como o fogo que alimenta a paixão do meu coração!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorAs estatísticas
Próximo artigoNesse encontro previsto
CELESTINO MAGALHÃES, o racional
É licenciado em Engenharia Zootécnica, professor de Matemática e Ciências e formador em Tecnologias da Informação. Tem dois mestrados e está num programa de doutoramento em Tecnologia Educativa. Silencioso, independente e organizado, adora ter o controlo de todas as situações — quando é possível. É preocupado com a saúde, com a forma física e diz-se «prudente, meticuloso e racional». É um incorrigível perfecionista. No seu entender, «a busca pela felicidade pessoal pode ser entendida pelos outros como egoísmo». A sua máxima é: «Para ser realizável, basta sonhar!».