Poema de amor

877
Fotografia © Fernando Jorge | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Fernando Jorge | Design © Laura Almeida Azevedo

Foram anos e anos de amor em cinco anos.
Talvez fossem enganos, mas de amor são milhares de anos.

São páginas que escrevo, versos de encanto.
São espelhos de saudades em que encanto,
estes poemas de amor que ’ind’ hoje canto.

Foram horas sem fim, horas de amor
ou não sej’ isto amor, seja o que for,
seja mágoa, seja lágrima ou seja flor,
sejam mil anos a correr atrás do amor.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorJuntos ao anoitecer
Próximo artigoNão é todos os dias que encontramos a nossa alma gémea
FERNANDO JORGE, o biólogo
Cozinheiro, aos 12 anos. Artista de teatro, fundador do grupo Madrugadores do Adro, em Ribeira de Frades, aos 16 anos. Praticante de atletismo na AAC. Professor na Escola Industrial e Comercial da Marinha Grande, aos 21 anos. Começou a escrever o livro Poemas de amor e de raiva, aos 22anos, e ainda continua. E continua.