Tu!

1484
Fotografia © Guillaume de Germain | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Guillaume de Germain | Design © Laura Almeida Azevedo

Tu! Sim, tu, que procuro neste labirinto que se chama vida. Sei que, algum dia, logo, depois, já, em breve, amanhã, os nossos caminhos se irão cruzar. Acredito que, quando isso acontecer, não vai ser preciso proferir qualquer palavra, esboçar qualquer gesto. Os nossos olhares irão completar-se num abraço apertado. Acredito, sim, porque de nada vale se não acreditar, que, quando estiver destinado, acontecerá!

Tantas vezes, nos perguntamos e nos questionamos acerca dos porquês, dos ses, dos mas… Dos medos! Todos eles são precisos para nos conhecermos. Indispensáveis mesmo, se me é permitido dizê-lo. Quantos de nós já pararam, em algum momento da vida, em algum local, para responder a estas três simples (ou não) questões: Quem sou eu? O que desejo para a minha vida? Para onde vou? Só a partir do momento em que as gavetas do nosso sótão estiverem devidamente arrumadas — e convenientemente fechadas — é que conseguiremos dar a resposta correta a estas questões. Só depois de nos conhecermos a nós mesmos e de nos amarmos é que podemos conhecer os outros, o outro e amá-lo!

Este caminho, por mais sinuoso e atormentado, tem de ser percorrido com determinação. Não existem atalhos, nem caminhos mais curtos para chegar mais depressa. Esta viagem não tem duração definida. Não existe um espaço temporal a confiná-la. Depende apenas da nossa vontade, da nossa coragem e do nosso empenho. Cada obstáculo com que nos deparemos deve ser encarado como um degrau para ser subido em direção à solução, ao objetivo final.

Ser feliz depende somente de nós próprios e não do que nos rodeia. Claro que podemos apresentar imensas definições de felicidade. Não somos iguais. Logo, não haverá felicidades iguais. Mas, para que esta felicidade exista, deve ser construída sobre sólidos alicerces, sobre os valores que são mais importantes para cada um.

Ser feliz é viver!

Mas a minha procura por ti é a demanda que completará a minha vida! A felicidade só tem valor se for partilhada e nada melhor do que tu e eu para que isso aconteça. Continuarei a minha saga na procura de ti, pois acredito que, no segundo mais inesperado, no olhar mais comprometido, no mais tímido sorriso, estarás ali, para mim!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorQuando olhas para mim, o que vês?
Próximo artigoTudo o que sei sobre o amor
CELESTINO MAGALHÃES, o racional
É licenciado em Engenharia Zootécnica, professor de Matemática e Ciências e formador em Tecnologias da Informação. Tem dois mestrados e está num programa de doutoramento em Tecnologia Educativa. Silencioso, independente e organizado, adora ter o controlo de todas as situações — quando é possível. É preocupado com a saúde, com a forma física e diz-se «prudente, meticuloso e racional». É um incorrigível perfecionista. No seu entender, «a busca pela felicidade pessoal pode ser entendida pelos outros como egoísmo». A sua máxima é: «Para ser realizável, basta sonhar!».