Como lhes explicar?

512
Fotografia © Anabela Mata | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Anabela Mata | Design © Laura Almeida Azevedo

Ainda há pouco tempo me perguntaram: «Onde está o teu amor?»

Sim, falo em ti… Falo sempre em ti para dizer que já vivi um amor maior, que sou (somos) a prova viva de que ele existe, de que vale a pena.

Respondi que estás em todo o lado. Riram. Como se eu estivesse a fugir da resposta. Não, a resposta estava toda ali. Estás em todo o lado. Estás em tudo na minha vida. E ninguém te vê, ninguém te sabe a não ser eu.

Como lhes explicar que vieste a mim para me ensinar? Para me despir de quem era e revelar quem sou, para me mostrar o que mereço, para me provar que a felicidade existe e está nas pequenas coisas, está no agora, está em aproveitar e viver o momento?

Como lhes explicar que és a minha alma gémea, que revelaste o lado melhor de mim e que me mostraste o melhor que um ser humano pode trazer em si?

Como lhes explicar que segundos ao teu lado eram horas, que silêncios nos teus braços eram histórias, que fazíamos amor para além do corpo, que nos sentíamos para além da alma?

Como lhes explicar que o nosso amor não é de agora? Que é de sempre e viverá além do tempo?

Como lhes explicar que, por amor, fomos em busca de outros amores? Por amor, seguimos caminhos diferentes porque sabemos que, um dia, quando os olhos se fecharem, recomeçaremos juntos o nosso caminho.

Como lhes explicar que, por ti, não desisti do amor? Daquele que tu me mostraste que existe. Daquele que trouxeste até mim. Não te procuro a ti em outros homens, mas não deixo de procurar a felicidade em estado puro, que vem sem pedir nada em troca, que se revela nos pequenos nadas que se transformam em tudo.

Como lhes explicar que podemos guardar um amor, dentro de nós, e ter o coração aberto para viver um outro? Tudo o que quero é amar alguém tanto como tu, um dia, te sentiste amado.

Sim, falo de ti, porque não poderia deixar de falar do homem que me mostrou a vida, que me fez renascer e trazer ao de cima o melhor de mim. Sim, falo de ti, ainda que hoje apenas existas dentro de mim!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorAquele beijo
Próximo artigoCumpre o teu fado e vem ter comigo
ANABELA MATA, a bella
Ela é uma mulher ativa, vegetariana e adepta da vida saudável. Por isso, adora cozinhar, dançar, viajar e, sim, escrever — para ginasticar as emoções. Escreve com o coração: esse, que sente, ama, sofre, é feliz. Adora sorrir. Quase se poderia dizer que ela é a Bella porque é assim que vê a vida.