Gosto de vocês, sabem?

602
Fotografia © Raquel Ferreira | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Raquel Ferreira | Design © Laura Almeida Azevedo

Sempre usei as palavras para descodificar o coração, mas nunca imaginei a dimensão que as palavras podiam ter. Nunca imaginei o que podiam formar, além de frases que nos saem da alma.

Este mês, percebi que as palavras podem formar amizades. Amizades que surgem como se nos conhecêssemos desde sempre. Amizades que não escolhem idades, nem personalidades. Amizades apenas. Genuínas. À prova de diferença. É que, aqui, uns cozinham, outros dançam, outros cantam e outros, ainda, falam pelos cotovelos. E gostamos uns dos outros, porque brindamos à vida, aos raios de sol e às flores da primavera. Esquecemos as gotas da chuva, o nevoeiro da manhã e os dias que teimam em escurecer. Brindamos com cocktails, com Moscatel, com Coca-Cola, com leite e até com água. Mas brindamos. A nós. À nossa vontade de sermos felizes.

E tudo porque, um dia, nos deixámos desafiar sem saber o que viria a seguir, sem saber o que esperar, sem saber se tínhamos estaleca para isto.

Mas já comprovámos. Temos estaleca para isto e para muito mais. Temos estaleca suficiente para dar a volta ao mundo (em mais de oitenta dias) e a conversa não se esgotar. É que, sem percebermos, contamos os nossos dias, as nossas frustrações e os nossos sorrisos e estamos lá todos pra chorar se for preciso e para rir à gargalhada na maioria das vezes.

E, hoje, eu quero falar sobre isto. Sobre o que me faz feliz, o que me deixa realizada. Porque as palavras serão sempre o melhor meio para agradecer.

Isto somos nós: o Desafio-te.

Isto somos nós! E o que as palavras juntaram jamais alguém vai separar.

Obrigada!

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorQuero-te!
Próximo artigoQuem ama por inteiro não pode reclamar só metade
RAQUEL FERREIRA, a engenheira
É de uma aldeia perdida no norte do país e ambiciona ser mestre em Engenharia Civil. No percurso, apaixonou-se pelas palavras e escreve. Sobre tudo. Sobre nada. Ainda não é tudo o que quer ser, mas luta todos os dias por isso.