Querer esquecer é um bocadinho isto

1005
Fotografia © Catarina Andrade | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Catarina Andrade | Design © Laura Almeida Azevedo

Olha, vou fazer de tudo para te guardar no coração. Bem fechado para que não voltes a sair dele.

Vou fazer de tudo para não pensar em ti quando acordo e para não ter vontade de te contar tudo o que me acontece durante o dia. Vou tentar que o meu coração não aperte tanto, cada vez que me lembro de ti. Vou tentar (juro que vou) sentir menos falta dos teus abraços. Vou tentar não te ver em todas as pessoas com que me cruzo na rua e vou (mesmo) fazer de tudo para não me lembrar dos teus olhos. Para não me lembrar da forma como olhas para mim, como sentes tantas coisas por mim, num só segundo, sem teres sequer que me tocar. Vou esforçar-me ainda mais para não me lembrar do teu sorriso, que faz o teu olhar brilhar ainda mais. Não, definitivamente, não me posso lembrar do teu sorriso.

Sabes, vou tentar não me lembrar de ti e, todas as vezes que o fizer, vou lembrar-me ainda mais. Querer esquecer é um bocadinho isto: lembrarmo-nos cada vez mais. E eu sei que vou querer lembrar-me sempre de ti, que vou continuar a querer-te à distância de um abraço – o meu abraço.

Mas eu prometo que vou tentar esquecer-me do que mais quero: viver tudo o que sinto por ti. Vou esquecer-me da vontade que tenho de te conhecer, melhor do que ninguém, e de descobrir os teus terríveis defeitos. De gostar ainda mais de ti por cada um deles. Vou esquecer-me da vontade que tenho de te dizer ao ouvido que gosto tanto (mas tanto) de ti. Sabias que me apaixonei por ti?

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorHoje, quis dizer-te o quanto a vida é efémera
Próximo artigoNão basta só amar
CATARINA ANDRADE, a psicóloga a bordo
Tem 27 anos. É psicóloga de formação e assistente de bordo de profissão. Sempre gostou de escrever e, se lhe perguntarem, não se lembra de quando o começou a fazer. Como sempre foi muito crítica para consigo própria, deitava fora quase tudo o que escrevia. Agora, vai-se deixar disso. É este o desafio.