Nada faz sentido sem amor

1692
Fotografia © Aaron Burden | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Aaron Burden | Design © Laura Almeida Azevedo

Há dias em que te amo e dias em que te amo ainda mais. Há dias em que as palavras nos beijam e dias em que magoam, mas tanto… Há dias em que um abraço cura tudo e há abraços que doem num adeus sem hora marcada para terminar. Há saudades que matam por dentro. Saudades do que demora a vir preencher o nosso coração ou do que nunca mais volta. Há beijos que nos tiram o ar e outros que nos serenam. Há quem nos roube e há quem nos devolva, quem nos despedace e quem nos una os fragmentos. Há o tudo e o nada, o eu e tu, o querer e o não querer. Há dias de chorar e de rir. Há tanto e tantas coisas.

Mas nada faz sentido sem amor.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorTive vontade de matar a saudade
Próximo artigoCreio que isto é um adeus
HELENA ISABEL, a misteriosa
Nasceu em dezembro de 1983. Diz-se uma «exploradora da vida». Gosta de ler, de escrever e de pintar. Não da pintura dos guaches e dos pincéis. Mas da pintura com as palavras. É apaixonada, irreverente e sensível a tudo o que a rodeia. Prefere um segundo de realismo a uma eternidade de sonhos.