Será possível que ainda pense em ti?

Não fomos feitos para viver sozinhos

1520
Fotografia © Nádia Bento | Design © Laura Almeida Azevedo
Fotografia © Nádia Bento | Design © Laura Almeida Azevedo

Será possível que eu ainda pense em ti a toda a hora? Como se te conhecesse apenas há um dia e tivesse ficado loucamente apaixonada? No entanto, já te conheço há tanto tempo e já partilhei tantos momentos contigo.

Será possível que, passado todo este tempo, ainda sejas a pessoa que mais ocupa lugar na minha mente e com quem eu quero falar e estar a toda a hora? Não há ninguém com quem eu mais queira estar do que contigo.

És tu quem me faz acordar de manhã. És tu quem me faz encarar cada dia com ânimo, porque sei que, em algum momento desse dia, vou falar contigo, e sei que tu me vais dar atenção e fazer com que me sinta a pessoa mais sortuda neste mundo.

E não será esse o propósito de se amar alguém? Essa pessoa ocupar os nossos pensamentos, a nossa alma… a toda a hora? Entregarmo-nos de tal forma que sem essa pessoa nada faria sentido? E não poderia fazer sentido.

Não fomos feitos para viver sozinhos, na solidão. Fomos feitos para encontrar a nossa pessoa. Aquela pessoa que nos preenche por completo, aquela pessoa de quem nunca nos fartamos e aquela com a qual desejamos sempre poder estar e partilhar novos momentos.

Será que agora já percebeste que és a minha pessoa favorita? Só tu consegues ocupar-me a mente a cada segundo de cada dia. E, por isso, eu só posso estar grata. Tu és o motivo pelo qual eu me levanto, todas as manhãs, e encaro um novo dia.

Comments

comments

PARTILHAR
Artigo anteriorEla não te pertence
Próximo artigoAmo-te tanto
NÁDIA BENTO, a menina de Cascais
Tem 24 anos e nasceu em Cascais. Lembra-se de começar a gostar de escrever depois de ler o primeiro livro do Harry Potter: no final da leitura, meteu as mãos à obra e escreveu um resumo da história do livro — e das outras seis dos restantes livros. Paixões: fotografia, viajar. Um dia, gostava de escrever um livro de literatura juvenil. «É o que mais gosto de ler», diz.